MILÃO 2014


O Brazil S/A chega a 2014 com mais design, esta foi uma das nossas metas para a 5° edição, a ideia é mostrar a nossa pluralidade aumentando a visibilidade do design nacional e gerando negócios voltados à exportação por meio de divulgação, serviços e ações de relacionamentos entre empresas e visitantes, criando uma ponte entre as corporações e profissionais de design, arquitetura, decoração e artesanato.

Milão, todos os anos, recebe varias novidades de design e decoração no Salão Internacional do Móvel e no Fuori Salone, que juntos, em 2013, geraram negócios em torno de € 10.5 bilhões. O nosso evento fica no coração do Fuori Salone, a Duomo e neste ano a sua principal exposição Origens do Brasil, sob a curadoria de Adélia Borges, celebra a diversidade cultural através de banquinhos de sentar que caracteriza fortemente o Brasil.


EXPO ORIGENS DO BRASIL

Há muito tempo os banquinhos de sentar fazem parte da cultura material brasileira. Eles estão presentes desde muito antes de 1500, quando os colonizadores portugueses chegaram ao Brasil, e via de regra são concebidos para uso ritual nas sociedades indígenas – seja pelo chefe da tribo, seja pelo xamã.

Disseminaram-se por todo o país no fazer popular, que os elabora com recursos e técnicas que muitas vezes são rudimentares, mas nem por isso revelam menor sabedoria.

Os designers contemporâneos, por sua vez, reinventam essas tradições projetando peças que muitas vezes bebem diretamente desse legado cultural.

Esta exposição reúne um pouco desse fascinante universo. Decidimos apresentar as peças lado a lado, sem diferenciação hierárquica. Nossa intenção é celebrar a diversidade cultural que caracteriza fortemente o Brasil. Num país que é um caldeirão de culturas, onde as heranças indígenas, africanas e europeias se mesclam e se recriam, os banquinhos expressam com graça essa mistura.


EXPO 100% BRASIL

Com o intuito de privilegiar o profissional de design brasileiro, o evento Brazil S/A, traz para Milão a exposição 100% Brasil, onde o foco principal desta exposição é fomentar o design nacional, valorizando alguns dos designers brasileiros em âmbito internacional.

São eles: Ale Jordão, Estevam de Carvalhaes + Victor Leite, Estúdio Bola, Fábio Galleazo, Fernando Prado, Flávia Rocha Faria, Flavio Franco Guto Requena, Henrique Steyer, Jader Almeida, Jejo Cornelsen & Paola Croso, Luiz Pedrazzi + Studio Ginga, Marcelo Rosembaum, Marina Luana, Mellina Makowiecky + Renée Melo + Karin Danieli, Niccolò Adolini + Daniel Simonini, Nido Campolongo, Olavo Machado Neto, Pedro Braga Leitão + Marcelo Lobo, Quadrante Studio, Questto|Nó, Renata Meirelles, Ronald Scliar Sasson, Ruth Fingerhut, Sandra Arruda, Sergio J. Matos, Zanini de Zanine.


EXPO LAB FOR SUSTENTABILITY

Um laboratório para sustentabilidade: artistartesão participa do Brazil S/A.

O artistartesão, iniciativa que visa promover a arte popular brasileira, participa da 5º edição do Brazil S/A, que acontece de 8 a 13 de abril, com a mostra Um laboratório para sustentabilidade.

O evento tem como objetivo aumentar a visibilidade da criatividade nacional, bem como a promoção de empresas e profissionais brasileiros nas áreas de arquitetura e design - em um contexto internacional -, durante a Design Week de Milão.

A exposição Um laboratório para sustentabilidade reúne uma seleção dos melhores artigos da arte popular brasileira, úteis para a vida cotidiana e às vezes vestíveis, com objetos escolhidos com cuidado e competência entre as melhores obras de artesanato.

O artistartesão traz uma coleção de formas ricas em cores, inspiradas na natureza e essência do Brasil.


EXPO ARVOREDO/CASA E JARDIM

A Casa e Jardim estará pelo segundo ano consecutivo na Semana de Design de Milão, na Itália, no espaço Brazil S/A, com a exposição Arvoredo.

Um espaço de mais de 100 m² com árvores gigantes, cada uma feita de uma fibra natural brasileira diferente – como a taboa, o milho, a bananeira, o bambu entre outras – trançada a fios de algodão, formando tecidos que dão forma e sustentação às árvores.

O trabalho, idealizado pelo designer Renato Imbroisi, foi todo produzido por tecelãs do Muquém, bairro rural do município de Carvalhos, sul de Minas Gerais.

"Desejamos que os visitantes tenham a sensação de estar passeando num bosque, surpreendam-se com o gigantismo das árvores, conheçam a diversidade de espécies da matéria-prima apresentada e o talento do artesão brasileiro", diz Simone Quintas, diretora de redação de Casa e Jardim.

A cobertura completa da exposição e de outros eventos do Brasil S/A e da Semana de Design de Milão você encontra aqui.


EXPO BOLA BRASIL

O Futebol no Brasil foi introduzido por Charles Miller, um jovem brasileiro que, após viagem pela Inglaterra, trouxe consigo duas bolas de futebol e passou a tentar converter a comunidade de expatriados britânicos da cidade de São Paulo de jogadores de críquete para futebolistas, criando um clube de futebol no Brasil.

O futebol rapidamente se tornou uma paixão para os brasileiros, que frequentemente referem-se ao país como "a pátria de chuteiras" ou o "país do futebol". Segundo pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas, o futebol no Brasil tem trinta milhões de praticantes, aproximadamente 16% da população total, 800 clubes profissionais, 13 mil times amadores e 11 mil atletas federados.

Sendo a Cristaleria Baccarat uma das mais renomadas empresas do setor com 250 anos e conhecida pelos seus tradicionais lustres de cristal, a Began Antiguidades que atualmente representa a marca no Brasil e seguindo a grande paixão nacional, resolveu homenagear o futebol brasileiro e a Copa do Mundo de 2014 com a exposição Bola Brasil.

Sob a curadoria de Luiz Claudio Began, dez renomados criadores da decoração e arquitetura brasileira, foram convidados para colocar o clássico lustre de cristal francês feito a mão em sinergia com o futebol brasileiro, criando um novo e curioso olhar para os majestosos lustres Baccarat, um verdadeiro diálogo entre a vanguarda e o clássico. A mostra une a originalidade dos trabalhos customizados em tecidos translúcidos em um contra ponto aos lustres lapidados à mão que traduzem com sofisticação e irreverência a grande paixão do brasileiro: o futebol.


EXPO CAMISA 10

Se todo artefato do design possui informações imateriais, uma camisa de futebol pode revelar como construímos os signos que nos diferenciam e os símbolos que nos configuram como uma comunidade ético-estética. A “camisa 10” é um artefato de memória que desperta empatias com relação à imagem cultural do Brasil.

Esta mostra diz respeito a dimensão emocional do design porque apresenta as livres associações acerca do amor à uma camisa. Cada interpretação da camisa 10 apresentada pelos designers nessa exposição remonta a contínua transformação desse símbolo memorial do nosso futebol brasileiro.

Os trabalhos aqui apresentados compõem os afectos e perceptos que transfiguram esta camisa para além de sua função e de seu uso. Estas camisas representam a maneira como o futebol compõe o nosso patrimônio intangível de memórias culturais. Há em cada superfície uma parte do nosso destino histórico onde se desvela o nosso modo de ser.

Que a celebração da camisa 10 permita retomar não só a memória de nossos melhores jogadores, mas também a lembrança dos nossos modos de se interpretar as diferenças. A camisa 10 não representa apenas o melhor jogador, ela apresenta uma tradição desse espírito de se jogar.

Estas camisas narram como o futebol se constituiu no Brasil por meio da assimilação de outras culturas. Elas representam nossa diversidade cultural, social e os nossos infinitos modos de ser. Esperamos que um dia todos nós possamos assimilar essa moda nos estádios, nas praças e nas ruas. Que a camisa 10 reavive em nossa memória o futebol que se joga com alma.


EXPO CHICO MENDES VIVE MAIS!

A exposição apresenta a parceria entre o governo do Acre, na Amazônia brasileira, e duas instituições italianas, o Polidesign, consórcio do Politecnico di Milano, e Istituto Europeo di Design (IED) resultou em dois importantes projetos.

Em 2012 foi realizado o Curso de Design de Móveis do Estado do Acre, por meio do Instituto Dom Moacyr (IDM), ministrado pelo Polidesign e pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Durante nove meses, estudantes de arquitetura, artistas e marceneiros participaram da formação. O grupo teve a oportunidade de identificar aspectos da cultura local, que serviram como inspiração do projeto e da comunicação visual dos móveis e objetos de decoração.

Os visitantes poderão conhecer a resultante dessas duas ações que apresentam ao mundo aspectos da vida na floresta. As peças são impregnadas de valor cultural e design, geram renda e ajudam a manter a floresta em pé.